Nicola Edgington - Minha irmã psicopata





Nome: Nicola Edgington

Nascimento: Londres, Inglaterra. 1981

Idade: 33 anos.

Acusação: Homicídio e tentativa de homicídio

Número de Vítimas: 2 homicídios sendo a primeira vítima à própria mãe

Pena: Prisão perpétua com um mínimo de 37 anos por homicídio e outra pena de prisão perpétua com um mínimo de 20 anos por tentativa de homicídio.

Situação: Presa

Diagnóstico: Esquizofrenia e psicopatia

Tom Edgington tem poucas lembranças felizes de sua infância em Muswell Hill, um subúrbio ao norte de Londres. Seu pai, Harry, um homem sério e de poucas palavras, era um correspondente do jornal inglês Daily Mail, e trabalhava muito dentro de casa. Sua mãe, Marion, ao contrário do marido, era uma mulher bastante comunicativa e uma personalidade bastante popular no bairro. Além de Tom, o casal tinha mais duas filhas,Nicola, a mais velha, e Sara, a caçula. A família inglesa poderia ser apenas mais uma família normal mundo afora não fosse um seríssimo problema que girava em torno da irmã mais velha de Tom, a ruivinha Nicola.

Tom diz sobre sua irmã: “Nicola parecia gostar de criar conflitos, colocando as pessoas umas contra as outras. Eu pensava que era normal, não tinha como eu saber que não. Crescemos como forasteiros no bairro, Nicola sempre tinha problemas na escola e os pais de colegas proibiam seus filhos de brincarem com ela por acharem que ela era uma má influência.”

Voltando ao passado, uma lembrança se destaca na mente de Tom. Ele tem quatro anos e está arranhado, sangrando, caído sobre uma roseira no jardim. Seu pai corre para ajudá-lo, ao lado, sua irmãzinha Nicola assiste à cena sem expressar nenhuma emoção. Foi ela quem o empurrou contra os espinhos. Repreendida pelo pai, ela apenas diz: “Está feito!”

Ela chamava o irmão mais novo apenas de “coisa”, e essa não fora a primeira vez que ela tentara se livrar dele. Quanto Tom tinha dois anos, Nicola empurrou o seu carrinho de bebê pela escadaria de uma igreja durante um passeio de família. Por sorte, Harry conseguiu segurar o carrinho antes que este rolasse escada abaixo.

Tom diz: “Todo mundo pensou que era apenas rivalidade normal entre irmãos e que ela iria crescer sem isso, mas Nicola só fez piorar. Pelo que eu me lembre, Nicola não era certa, não tinha empatia com os outros.”

Marion consultou psicólogos que disseram que Nicola era “normal”, mas segundo Tom, sua irmã era uma criança mestre em manipular: “Ela era boa em fingir sanidade.”



Aos 11 anos, Nicola ficou incontrolável, fugia de casa e passava dias desaparecida.

“Uma vez minha mãe escondeu todos os seus sapatos para impedí-la de sair de casa, ela então pegava os meus e fugia. Ficava uma ou duas semanas sumida. Os serviços sociais diziam que ela era um perigo para outras crianças, mas eles não ajudavam minha mãe.”
Quando Nicola completou 12 anos, Marion decidiu mudar-se com a família para uma casa de campo em East Sussex, uma bucólica região no sudoeste da Inglaterra. Separada de Harry, ela queria levar sua filha mais velha para longe de Londres. Na capital inglesa, apesar da pouca idade, Nicola já havia enturmado com tudo quanto era má influência, passava as noites nas ruas bebendo e fumando com amigos. No novo lar, Marion colocou os dois filhos mais novos, Tom, 10 anos, e Sara, 07 anos, em um internato onde passavam a semana inteira longe de Nicola.

“Acho que minha mãe percebeu que Nicola poderia ser violenta, estava se tornando um risco para nós. Para mim foi um alívio ficar longe dela. Eu amei a escola e não queria ir para casa nos fins de semana. Ficar com meus amigos e ver como outras famílias se relacionavam, me fez perceber o quão mentalmente instável era Nicola e como isso afetou nossa família.”
Aos 15 anos, Nicola foi expulsa do colégio e passou a morar em um apartamento pago pelo seu pai, Harry. Nessa época, depois de inúmeras tentativas, sua mãe conseguiu levá-la até um Centro de Saúde e ela começou a tomar remédios controlados. Morando sozinha, porém, ninguém poderia garantir que Nicola tomaria sua medicação.

No seu aniversário de 13 anos, Tom visitou a irmã mais velha, mas a visita quase lhe tirou a vida. Nicola o fez fumar maconha e obrigou-lhe a consumir anfetaminas até que ele caísse doente. Talvez ela o tenha usado como uma espécie de cobaia para saber quantos comprimidos eram necessários para levar alguém a óbito.

Aos 17 anos, Nicola ficou grávida de gêmeos, mas teve um aborto depois que o namorado lhe deu um soco na barriga. Ela se mudou para Londres onde trabalhou como recepcionista e dançarina de boates de strip-tease. Aos 19 anos, ficou grávida novamente de um namorado traficante e deu à luz a um filho. Foi Marion quem ajudou a filha nos cuidados com a criança, o seu primeiro neto.

Dois anos depois, aos 21, Nicola se casou com um jamaicano que conheceu em um clube. Engravidou do seu segundo filho e viveu, talvez, o período mais estável de sua vida.

Tom diz: “O marido de Nicola amava o primeiro filho da minha irmã como se fosse dele. Ele fez com que Nicola tomasse sua medicação, mas às vezes ela o tratava horrivelmente e o acusava de todos os tipos ruins de comportamento.”
O casamento acabou quando Nicola se juntou a uma igreja cristã evangélica e tornou-se convencida de que Deus, ao invés dos seus medicamentos, poderia curá-la. Ficou convencida de que estava cercada por demônios. Seu marido voltou à Jamaica e, quando Nicola o visitou, estava num estado tão preocupante que o ex-marido a proibiu de deixar o país com o filho do casal. Ela voltou para a Inglaterra apenas com seu filho mais velho. Marion estava tão preocupada com a segurança do neto que entrou em contato com o Serviço Social inglês para que este tirasse de Nicola a guarda do seu filho.

“Acho que minha mãe esperava que Nicola teria a ajuda médica que precisava e, em seguida, teria o seu filho de volta. Mas não foi isso o que aconteceu. Sem os filhos, Nicola perdeu seu alojamento e o dinheiro do governo, e começou a culpar minha mãe, que ficou bastante assustada e disse que Nicola poderia matá-la.”

Após o episódio das anfetaminas, Tom mudou-se para a cidade de Brighton onde cursava faculdade de Teatro. Ficou anos sem ver a irmã e fazia de tudo para evitá- la. Em um fim de semana de Novembro de 2005, ele e sua irmã mais nova, Sara, decidiram visitar a mãe em East Sussex, e quem estava lá ?

“Foi tudo difícil e tenso. Nicola estava muito tranquila e ficou lá sentada escrevendo no seu notebook, enquanto eu tentava fazer piadas para aliviar o clima.” Diz Tom.

O que será que Nicola escrevia no notebook ???

“Decidi levar Nicola para um pub para que, pelo menos, Sara tivesse algum tempo com nossa mãe. Fomos para o pub, mas Nicola foi convidada a se retirar do local por brigar com um DJ. Quando ela disse que estava voltando para Londres, fiquei aliviado.”

“Eu telefonei para casa e perguntei pra minha mãe e Sara se elas não queriam se juntar a mim no Pub. Elas vieram, mas minha mãe não conseguiu um local para estacionar o carro e então deixou Sara e voltou para casa.”

Sara e Tom ficaram conversando e bebendo no Pub. Eles não poderiam imaginar o horror que estava por vir.




Ao voltarem para a casa da mãe, os irmãos veriam uma cena que nunca mais sairiam de suas cabeças. Marion, a carinhosa mãe que sempre cuidou para que os filhos vivessem em paz e harmonia, estava caída no chão com uma enorme faca cravada no peito. Marion estava morta.

“No começo eu não conseguia entender o que estava vendo. Eu vi uma trouxa de roupas e duas pernas e pensei que minha mãe tinha convidado alguém para ficar lá. Falei para Sara que entrou no quarto e disse: Chame a Polícia!”

Chocado pela cena, Tom imediatamente soube quem era a responsável por aquela barbaridade. Sua suspeita tornou-se uma certeza quando ele acessou o notebook que sua irmã Nicola, a poucas horas atrás, usava. Lá, havia um arquivo do word salvo no desktop com o seguinte título: “Pessoas condenadas!”

“O nome da minha mãe estava no topo da lista, e estava riscado. Foi decepcionante, também, ver o meu nome na lista. Talvez ela pretendesse me matar.” Diz Tom.

Quando Nicola Edgington foi presa em um ônibus de Londres, depois de 16 dias em fuga, suas palavras foram: “Foi Tom quem fez isso!”

“Não bastasse ela ter deixado o corpo da minha mãe para eu encontrar, ela ainda tentou me culpar por sua morte.” Diz Tom.

Após sua prisão, Nicola foi diagnosticada com esquizofrenia e transtorno de personalidade antissocial (psicopatia) e enviada a um hospital psiquiátrico após admitir o homicídio e por ter sua responsabilidade diminuída devido à sua condição.

Na época, Tom e sua irmã Sara disseram em um comunicado: “Finalmente Nicola está no lugar onde não poderá machucar ninguém e que pode receber à ajuda que desesperadamente precisa.”
Mas a tranquilidade para Tom, e sua irmã Sara, se transformou em medo quando, em 2009, Nicola foi libertada.

Por dois anos, ela morou na Ambdekar House, no bairro de Greenwich, sudeste de Londres, uma casa de apoio supervisionada por uma equipe de saúde mental. Considerada “boa” pelos médicos e pela equipe do local, Nicola fazia planos para mudar para um apartamento. Na verdade, Nicola estava longe de estar estável. Ela havia parado de tomar sua medicação anti-psicótica após ficar grávida de um outro paciente, e quando ela perdeu a criança num aborto espontâneo, ela piorou.

Em 11 de outubro de 2011, Nicola enviou uma mensagem ao seu irmão Tom pelo Facebook, era a primeira comunicação entre os irmãos desde a morte de Marion.

“Ninguém está tomando conta de mim como mamãe fazia.” Escreveu Nicola.

Tom ficou assustado com a mensagem. Ele contatou a Ambdekar House e pediu para que a irmã fosse imediatamente reassistida. Dois dias depois, em 13 de outubro, Nicola discou para o serviço de emergência inglês, o 999, e disse: “A última vez que me senti assim, eu matei alguém, matei minha mãe.”

Parecia que Nicola estava implorando por ajuda. Policiais a encontraram e a levaram voluntariamente para o Hospital londrino Queen Elizabeth II. Dentro do hospital, ela novamente ligou para o 999 e gritou para ser presa, avisando que era muito perigosa. Pensando se tratar de um surto psicótico, profissionais do hospital a transferiram para uma Unidade de Saúde Mental. Enquanto uma enfermeira preparava sua cama, Nicola fugiu.

Pegou um ônibus para Bexleyheath, um bairro no subúrbio de Londres, invadiu uma loja e roubou uma faca. Ao ver uma mulher parada num ponto de ônibus, Nicola não pensou duas vezes, correu em sua direção para matá-la. Kerry Clark, 22 anos, teve sorte. Talvez por ser jovem, conseguiu lutar contra Nicola que não conseguiu atingir o seu objetivo. Mas ela não parou por ai. Nicola invadiu um açougue e roubou um cutelo. Naquela mesma hora, Sally Hodkin, 58 anos, caminhava em direção ao seu trabalho como fazia todas manhãs. Sally teve, praticamente, sua cabeça decapitada por Nicola.


                                                        Kerry Clark, 22 anos         
        
                                                     Sally Hodkin, 58 anos

“Você é manipuladora e excepcionalmente perigosa. Você fez sua escolha e o fato é que voce deve assumir as responsabilidades pelos seus terríveis atos” disse o Juiz Brian Barker,  durante o Julgamento de Nicola Edgington, 32 anos. Nicola foi condenada a duas prisões perpétuas pelo assassinato de Sally Hodkin e tentativa de homicídio de Kerry Clark.

Hoje, Tom não tem certeza sobre como se sente em relação à sua irmã mais velha. Tom aceita que Nicola sofre de uma doença mental e transtorno de personalidade, mas não acredita que ela pode ser absolvida por suas responsabilidades. Sua ira é direcionada para os profissionais médicos que decidiram que Nicola estava bem o suficiente para estar de volta à comunidade.

“Nós conhecemos Nicola por toda vida. Nós sabíamos que ela era perigosa. Dissemos a eles que ela seria um risco para outras pessoas. Ela nunca deveria ter saído, mas eles simplesmente não quiseram nos ouvir.”

Nicola entrando algemada no Tribunal em 2005 acusada do assassinato de sua mãe.




 

Pedro Alonso Lopez - O Monstro dos Andes



Pedro Alonso Lopez nasceu em 1948, em Santa Isabel, no departamento colombiano de Tolima. Seu pai, Megdardo (ou Medargo) Reyes, era um membro do Partido Conservador da Colômbia morreu de uma bala que atravessou seu corpo em meio a uma guerra civil da época, apenas seis meses antes do nascimento de Pedro Alonso. Então Pedro nasceu sem conhecer um pai e como o sétimo de 13 filhos, no meio de uma casa marcada pela pobreza.

Poucos meses depois Pedro é levado para a cidade de El Espinal. Que de acordo com Pedro, a sua mãe Belinda Lopez Castaneda trabalhou como prostituta dentro de casa e com seus filhos, que dormiam em uma cama de casal, cujo quarto foi separado por uma cortina pequena, onde se via e ouvia as coisas que a mãe fazia.

Anos mais tarde, tentando justificar suas infâmias, Pedro disse que sua mãe era uma dominadora, abusivo e tirânica. 
Ele alega que foi expulso da casa e até mesmo, quando Pedro voltou no dia seguinte, ela o levou embora de ônibus e o deixou a 200 km de casa. 

 Mas sua mãe nega, não só disso, mas também acrescenta que ela nunca o abusou, que era carinhosa com ele e acreditava que ele havia sido sequestrado no dia que desaparecera. Ela acrescentou que nunca viu tocar os seios da sua irmã como ele afirma, e nunca o expulsou de casa. 

Em relação a isso, um documentário Biography Channel, em que a mãe de Pedro declara tudo, afirma que Pedro realmente escapou e que sua mãe acreditava que ele havia sido sequestrado, e então ela chorou incontrolavelmente e depois falou que uma suposta testemunha, que disse que tinha visto Pedro indo para Cali com um homem. Ele tinha oito anos quando saiu de casa. 

De qualquer forma, Pedro terminou nas perigosas ruas da Colômbia, país que na época tinha uma taxa de criminalidade muito maior do que em qualquer outro país, e Pedro, com apenas oito anos provaria disso...


A raiz do mal
Um dia, quando Pedro estava na rua, um homem bondoso velho aproximou-se dele para oferecer comida e um lugar para viver. Diante de tal atitude de generosidade e compaixão aparente, o menino ingênuo concordou e foi com o estranho. Então, em vez de se alimentar, o homem levou-o para um prédio abandonado e sodomizou-lhe não uma, mas muitas vezes, depois que ele foi abandonado na rua.


Anos mais tarde, Pedro disse que ele havia se tornado o que era, pelo impacto que causou-lhe ao ver sua mãe se prostituindo e ainda, pela violação de que foi vítima aos seus oito anos: "Eu perdi minha inocência na idade de oito anos, então eu decidi fazer o mesmo com tantas meninas como eu poderia. "

Um resgate temporário
Depois de seu calvário Pedro ficou com medo e desconfiado com estranhos. Ele ficou traumatizado e no meio das ruas aprendeu a linguagem da violência.

Como muitas crianças, Pedro foi exposto a muitos abusos por parte de adultos estranhos. Ele era um "menino de rua" e como tal tinha de ser associado com outros meninos de rua se ele quisesse sobreviver. Mas esta associação tinha seus terríveis males estava entre seu grupo onde aprendeu a fumar o crack e onde, por vezes, tinha de participar nas brigas horríveis a facas, quando havia disputa sobre bancos ou outros locais para dormir, como becos e prédios abandonados. Estes, e outros problemas como ter que revirar o lixo para se alimentar, e assim foi como Pedro durou até seus nove anos, depois de caminhar por alguns dias em Bogotá como um vagabundo, foi resgatado por um casal de idosos americanos.

Naturalmente Pedro aceitou na visão de que agora, era um homem com sua esposa e de idade avançada, mas não parecia ser perigoso. Também nessa época a atitude de seu benfeitor foi acompanhado por comida quente e parecia muito mais sincera do que a primeira vez.
Por cerca de três anos, tudo correu bem: tinha comida, educação e bom tratamento pelo casal. Assim foi até os 12 anos.

De volta às ruas
Aos 12 anos, Lopez fora novamente molestado, dessa vez por um professor, isso o motivou a retornar as ruas.O normal teria sido Pedro contar ao casal o que tinha acontecido, como em muitos casos semelhantes. Mas depois dessa violação se desencadeou toda a sua raiva. Pedro então invadiu a escola e roubou todo o dinheiro que havia no escritório da escola e nunca mais voltou.

Passará-se seis anos desde que Pedro tinha voltado as ruas depois de sair da casa do casal americano. Por um tempo, procurou trabalho, mas nunca conseguia nada por causa de nenhuma experiência de trabalho e pouca educação formal. Então começou a viver de furtos, sofrendo freqüentes prisões, mas nunca sem antes receber uma surra ...

Já um adolescente mais velho (quase um adulto), Pedro conseguiu tornar-se um ladrão de carros muito capaz, tão hábil que até chegou a ser admirado pelos novatos na área, bem pago e em grande demanda por aqueles que controlavam o negócio.

Apesar de que sua habilidade não foi suficiente para evitar sua prisão, em 1969, quando ele já tinha 21 anos, acabou depois sendo condenado a sete anos de prisão ...


Descobrindo o prazer de matar
Não havia dois dias se passado, quando o fantasma do passado voltou para assombrar Pedro. Então, sem nenhuma razão aparente, dois detentos mais velhos agarram-no e o estupraram. Desta vez, Pedro sabia que ele poderia se vingar, porque ele não era mais uma criança de 8 ou 12. Ele decidiu ir em busca de uma faca de prisão e cortar a garganta de seus estupradores. A punição para a vingança foi de dois anos adicionais a sentença de prisão, desde que o ato foi considerado um assassinato em legítima defesa.

Uma evolução no nível criminal veio com estes assassinatos, na opinião de alguns especialistas, o fez perceber o grande prazer que tinha em matar, por isso, se antes disso era um estuprador pedófilo no poder, depois que já tinha etapa psicológica, no futuro próximo, acrescentando prazer de assassinar e o prazer de violar.

Durante o tempo que passou na prisão, Pedro alimentou o ódio contra sua mãe o que se juntou ao seu consumo de pornografia para fortalecer a imagem prejudicial ele do sexo oposto: uma imagem que corresponde a uma visão depreciativa, desumanizante e fortemente marcado por um processo de objetificação das mulheres.

Por fim, embora a sentença tivesse sido proferida, foi solto em 1971 aos 23 anos.

O Monstro dos Andes
Após a sua libertação, Pedro Alonso visitou Colômbia, Equador e Peru. Sua rota exata não é conhecida com certeza, mas a verdade é que suas vítimas eram meninas entre 8 e 13 anos, quase sempre pobres e indígenas, que geralmente se concentra em um cume que sobe através dos três países onde o assassino sanguinário buscava sangue inocente: os Andes.

Foi depois de sua libertação em 1970, aos 23 anos, quando, no início de sua trajetória sangrenta, Pedro Alonso percorreu quase todo o Peru e acabou deixando para trás 100 meninas mortas.


A punição de Ayacucho
Pedro foi pego pelos índios ayacuchos quando, no norte do Peru (não se sabe o ponto exato), foi capturado por um grupo deles, na tentativa de pegar uma menina de 9 anos de idade para abusar dela. Então, depois de perceber que o monstro estava por trás de tantas crianças desaparecidas na área, o amarraram e torturaram-no durante horas (fazendo coisas como esfregando urtiga nele) e, finalmente, decidiu dar-lhe uma morte lenta e terrível, que infelizmente foi salva. Lopez diz posteriormente: "Os índios no Peru tinha me amarrarão e enterrarão na areia até o pescoço quando eles descobriram o que havia sido feito para suas filhas. Me cobrirão a cabeça com mel e eles me deixariam para ser comido por formigas, mas um senhora missionária americana chegou em seu jipe e prometeu que ia me levar até a polícia. Ela me deixou amarrado na parte de trás de seu jipe e foi embora, mas ela me deixou na fronteira da Colômbia e me deixou ir. Eu não a machuquei porque ela era velha demais para me atrair. "
Muito provavelmente, a versão é falsa quando você considera que os exames psiquiátricos determinaram que Pedro Alonso fez uso de mentiras e, acima de tudo, se considerarmos que as fontes mais graves (como o documentário Biography Channel e artigo truTV ) dizem que o missionária, depois de convencer os índios de que o assassinato era mau aos olhos de Deus, realmente colocou o criminoso nas mãos das autoridades, que resultam posteriormente e que em sua negligência habitual a Polícia do Peru recusou-se a investir o esforço e dinheiro necessários em pesquisa, e assim Pedro foi deportado para o País vizinho Equador.


Retrato de "um dos piores canalhas"
Como afirmado anteriormente, Pedro perseguia meninas pobres, a maioria da raça indígena. Nunca matou meninas brancas, porque em países como este a raça branca é menor e um grupo economicamente favorecidos, enquanto os negros e índios são os mais afetados pela pobreza.

Então, Pedro Alonso era um assassino que escolhia ser prudente com as vítimas cujos pais poderiam ter dinheiro suficiente para trazer a polícia, porém os pobres mal podiam tomar atitudes. Seguindo esta mesma atitude de prudência, Pedro Alonso era capaz de seguir por vários dias uma menina até que ele soubesse qual era o momento em que ela estava sozinha, ai dava lhe presentes e pedia para seguir com ele onde supostamente haveria outro presente para dar a sua mãe, também por vezes se apresentado como um vendedor ambulante ou uma pessoa desamparada e perdida. 


Além disso, Pedro Alonso poderia deixar de seguir uma menina "eu costumava segui-las por horas, se necessário", se via que a menina chegava em casa e ia para uma área que não era facil para tentar levá-la. Por estes e outros aspectos, como verificar se suas vítimas estavam mortas, verificando sua respiração ou cortando os pulsos para ver se o sangue ainda está bombeando, criminologistas nunca hesitaram em dizer que Pedro Alonso era um assassino organizado. Por isso mesmo renunciava as afilhas de turistas pois os pais iriam atrás. Disse posteriormente: "Nunca tive a oportunidade de levar aquelas apetitosas meninas loiras os pais iriam atras."

Com relação a sua tendência de pedófilo Pedro disse cinicamente: "É como comer frango. Por que comer frango velho quando você pode ter a garota jovem? "

Uma característica importante de Pedro Alonso era o seu amor pela inocência. Bem diz ele que "andava pelas ruas à procura de uma menina com alguma semelhança no rosto, um olhar de inocência e beleza" e admitiu que, por causa de sua inocência, gostava particularmente das meninas do Equador revela: "Eu gosto das meninas no Equador, porque são mais dóceis, mais confiantes e inocentes, não gosta de meninas colombianas são suspeitas de estranhos. Eu queria tocar o mais profundo prazer e a excitação mais profunda, antes de sua vida definhar. "


"Houve um momento divino, quando eu colocava minhas mãos em torno do pescoço de meninas e via uma luz que estava desaparecendo de seus olhos. Somente aqueles que matam sabe o que eu quero dizer. "(Pedro Alonso Lopez)

Assim, vemos que "a paixão de transformar a vida em algo vivo", como sublinhado na seguinte declaração de Pedro Alonso Lopez: "Ao primeiro sinal da aurora me animando. Eu forçava a menina a fazer sexo comigo e colocava minhas mãos em torno de sua garganta. Quando o sol se levantava eu a estrangulava. [...] Seria bom se você pudesse ver seus olhos. Eu nunca matei ninguém à noite. Teria sido um desperdício no escuro, tinha que vê-los à luz do dia [...]."

Isto é visto na forma como ele falava e brincava com os corpos de meninas, meninas que, para ele, o havia chamado para sua própria história. Elas eram simplesmente "suas bonecas" (como eram chamadas cinicamente), em que ele disse uma vez: "Minhas amigas gostavam de ter companhia. Eu costumava ficar três ou quatro meninas em um buraco e dizer (...) Era como uma festa, mas depois de um tempo, já que não podia se mover eu estava entediado e estava à procura de garotas novas. "

Das valas comuns que Pedro Alonso fez para os suas "bonecas", ele diz que ali eram seus "locais históricos" e, nesse sentido, expressando o "troféu simbólico".
Lopez representou o conhecimento de onde suas vítimas estavam (alimentado pelo acúmulo de cadáveres) como grande (e importante) que seu trabalho criminoso era, e que ao contrário de outros assassinos, ele não levou nenhum objeto das vítimas escreveu seus nomes ou até mesmo o número que sua lista de morte.

Testes psicológicos Lopez revelou que era um "sociopata" com "transtorno de personalidade anti-social", alguém sem "empatia" e com grande capacidade de manipular e enganar. De acordo com Lopez, ele matou as meninas para livrá-las da pobreza e sofrimento neste mundo e que iriam morrer e ir direto para o céu ...


Capturado em Ambato
Pedro Alonso Lopez, por um tempo, gostava de estuprar e matar as "dóceis", "confiantes" e "inocentes" meninas no Equador, mas em Ambato, e especialmente após o assassinato da filha de um comerciante não era de classe baixa, apesar de ser de raça indígena, as autoridades começaram a levar a sério o desaparecimento.

Em abril de 1980, quando Pedro tentou sequestrar uma menina em um mercado em Ambato, foi preso por comerciantes e compradores depois de gritos desesperados ocasionalmente que a mãe deu para pegar o seqüestrador de sua filha. Depois veio a polícia e Pedro foi levado para a delegacia de polícia.
No início, acreditava-se que as meninas desapareciam devido ao aumento do comércio de menores para fins de escravidão sexual (o chamado "escravidão branca"), mas em abril de 1980 uma enchente descobriu um dos túmulos de Pedro e, antes de os restos mortais de quatro meninas, a polícia sabia que lidava com um assassino em série e começou a investigar, mas nunca conseguiu nada.
Então, poucos dias depois do dilúvio, Carvina Poveda tinha ido fazer compras com sua filha Marie de 12 anos. Pedro Alonso, que tinha visto a criança, não se conteve, como de costume e tentou seqüestrá-la no mercado. Então Carvina gritou por ajuda e comerciantes rapidamente e algumas pessoas correu atrás do assassino, que tinha saído do mercado, mas não foi rápido o suficiente para evitar ser pego pela multidão enfurecida.


Confissões e ascensão à fama
Lá, na sede da delegacia de polícia, Pedro adotou uma atitude de silêncio ante a todas as perguntas durante o interrogatório. Perante esta situação a polícia teve que ser inteligente e cuidadosa, porque ele era apenas suspeito de assassinar e se eles queria confirmar a sua condição de culpado que eram quase certo, deveriam fazer ele falar tudo e não usar a força pois não era o ideal.

Em meio a esses problemas que surgiram a figura do capitão Córdoba, que atuou como infiltrado e se fez passar como o Padre Gudino Córdoba. Com grande habilidade, o polícial conseguiu fazer amizade com o assassino e obter sua confiança e suas confissões de seus crimes hediondos.Agora, finalmente, eles sabiam que tinham um assassino em série que confessou ter matado pelo menos 110 meninas no Equador, na Colômbia e 100 ou "bem mais de 100" no Peru.

Mas ... e se, tivesse outros assassinos, Pedro mentiu para ganhar destaque? Sob esta questão, os pesquisadores eram céticos, até que Pedro se ofereceu para liderar um comboio da polícia para onde os seus ossos estavam enterrados "as bonecas" ... Em primeiro lugar, eles eram 53 cadáveres mostrou garotas com idades entre 8-12 anos, nos 28 novos locais, novos corpos foram encontrados eo total foi de mais de 57. Apesar de não encontrar os outros corpos, deve se apoiar as confissões de Pedro, alguns pesquisadores sugeriram que certos animais devem espalhafos os restos mortais e que as inundações tinham "lavado" o campo. Ao contrário do que Victor Lascano diretor da prisão, não duvidou da confissão do assassino e disse a um repórter: "Se alguém confessa autoria de centenas de assassinatos e encontraram mais de 57 corpos, devemos acreditar no que ele diz [..]. Eu acho que sua estimativa de 300 é muito baixa "


Uma sentença insignificante
Ficou claro que Pedro Alonso Lopez foi um assassino em série que vale a pena entrar o Hall da Fama, onde eles eram monstros como Garavito, de Gille Rais, Gary Ridgway, Chikatilo e muito mais. Apesar de que a pena máxima aplicável no Equador era 16 anos de prisão, o que foi atribuído como castigo em 1981, quando Pedro Alonso tinha 33 anos.

Os dois primeiros foram passados ​​na prisão em Ambato, os outros 12 na Colônia Penal Garcia Moreno, no Pavilhão B,projetado para estupradores e assassinos. Onde passou seus dias escrevendo em seu diário, fumando e desenhando o rosto de Cristo de um lado e o diabo do outro...


Do sanatório para a liberdade
O Monstro dos Andes serviu apenas 14 dos 16 anos, por causa de bom comportamento. O dia que ele deixou estava fora de si de felicidade: gritando, pulando agradecendo a Deus...

Houve grande revolta após a soltura de Pedro e muitos parentes de vítimas protestaram. "Neste país, acha que só os ricos têm acesso à justiça", disse a irmã de uma vítima, e o pai disse à polícia: "estão contra você."

Em contrapartida os equatorianos ficaram indignados, mesmo quando houve manifestações e exigiu o presidente a mudar a pena máxima. Felizmente houve uma resposta rápida, consciente e engenhosa: apenas uma hora depois de sua libertação, ele foi preso por estar no exterior e não ter "documentação apropriada", pelo qual ele foi deportado para a Colômbia, onde ele foi acusado de assassinar duas meninas, em 1979. Eles declararam-no louco e ele foi internado em um sanatório, que saiu em 1998 após ser declarado "são", ele foi  liberado sob fiança de US $ 50 e a condição de que siga seu tratamento psiquiátrico e relatar cada mês para o Judiciário.

Como esperado, nunca Pedro Alonso Lopez relatou ao Judiciário. Em vez disso, Pedro Espinal viajou para encontrar um velho conhecido a quem ele havia acusado de "toda a dor" do seu "coração": sua mãe, a Sra. Lopez Castaneda que já pedira-lhe que não o libertassem porque ele poderia ir lá e matá-la.

Mas Lopez foi relativamente compassivo e não tocar em um único fio de cabelo dela. Em vez de matá-la, ao vê-la, disse: "Mãe, eu me ajoelho para dar-lhe uma bênção." Mas isso foi só o começo, porque apesar de não mostrar nenhuma atitude violenta, Lopez realmente tinha ido para acertar as contas, e do jeito que estava exigindo para que sua mãe vendesse a cama e uma cadeira para lhe dar dinheiro, que ele usou para ir e nunca mais aparecer...

                                      Mãe de Pedro

Em outubro de 2002, a Colômbia emitiu um pedido à Interpol para sua prisão, porque ele era suspeito de estar por trás de um assassinato recente em El Espinal. Parentes de vítimas ofereceram US $ 25.000 para quem o matasse, mas sua mãe afirma que Lopez ainda está vivo. Se assim for, pode persistir em querer as palavras que proferiu na prisão: "O tempo da morte é apaixonante e emocionante. Algum dia, quando sair daqui, vai sentir esse momento de novo. Feliz por voltar a matar. É a minha missão."

Não se ouviu nada do monstro dos Andes nos últimos anos, mas as chances são de que ele ainda esteja vivo, de que sua mãe é absolutamente segura disso.



 

Seed Eater




O Seed Eater (Devorador de Sementes) também conhecido como "Rag Face" (Cara de Trapo), é uma criatura originada a partir de relatos postados no blog " Seed Eater Experiences ", e tem um modo de agir muito semelhante ao do The Rake e do Slender Man. É descrito como um ser humanoide, não inteligente; com pelo na cor café esverdeado, cabelo escuro e comprido, e usando uma máscara com abertura no olho e na boca. E ainda existe um rumor de que ele também tem um odor muito desagradável.

A história foi originalmente publicada por Cliff Howry, um blogueiro canadense que se tornou a única fonte de informação sobre o Devorador de Sementes no blog de experiências. Muitos usuários lhe enviaram cartas com teorias e relatos de encontros com a criatura.

De acordo com os relatos enviados, a criatura se baseia em caçadas que acontecem em um tempo determinado. Durante a caçada, o Devorador de Sementes observa e captura crianças (crianças são suas principais vítimas, mas em casos particulares são adulto) nas zonas rurais, e logo prossegue em devora-las. 

O Seed Eater é muito conhecido por cidades pequenas e isoladas ao longo dos Estados Unidos e possivelmente na fronteira com o Canadá também. Os encontros com o Seed Eater ocorrem usualmente fora da caçada, quando a criatura já não se mostra ameaçadora e meramente observa o indivíduo, movendo seus braços ou fazendo ruídos estranhos antes de fugir ou se retirar.

Algo intrigante, foi que Cliff deixou de postar no blog em setembro de 2010, após queixar-se de ter demasiados sonhos com o Seed Eater, porém voltou a postar em 5 de abril de 2011, embora caso tentasse entrar no blog dele, se era direcionado a uma página dizendo que o blog estava bloqueado por tempo indeterminado, e que estão coletando informações dos visitantes dessa página, inclusive na parte inferior era possível ver seu endereço de IP, e uma mensagem dizendo que você está sendo registrado.
(Atualmente, o blog já pode ser acessado normalmente).




As regras da caçada do Seed Eater!
Uma organização desconhecida estudou e observou o método do Devorador de Sementes e assim criou uma guia com sete passos em relação à caçada da criatura.

Abaixo, seguem os passos:

 -Não cace o Seed Eater durante a caçada dele, isso servirá como fonte de provocação para este;
 -Não interrompa sua caça, de outro modo este intruso (você, se ousar interromper) será o caçado;
 -Não haverá tentativas de fugir de sua caça;
 -Não haverá testemunhas sobre as vítimas ou sobre seus desaparecimentos;
 -Não haverá representações gráficas de sua aparência ou de suas intenções;
 -Não haverá evidências de suas intenções, exceto por esta guia;
 -Não haverá um confronto intencional, ou seja, ele não irá atacar a não ser que você fume maconha e vá atrás dele.

A organização, em correlação com uma cidade pequena, se mantém cuidando do único sobrevivente à caçada do Devorador. O sobrevivente se encontra preso em um sótão de um asilo. Lugar este, que por motivo desconhecido, o Devorador de Sementes não se aproxima.

O nome "Seed Eater" se dá ao fato de que em um dos depoimentos enviados, no qual uma testemunha narrava o ataque feito contra sua irmã, pela criatura. De acordo com ela, a última coisa que sua irmã disse, era similar a "Seed Eater (Devorador de Sementes)", deste modo, a criatura passou a ser nomeada assim.

O post final do blog de experiencias foi uma teoria quanto a natureza e a reprodução do Devorador. James, um usuário, sugeriu que talvez o sequestro de humanos adultos, possa ser para transformá-los ou forçá-los a virar"companheiros", para poder produzir novos Devoradores.

Em algumas ocasiões, as pessoas se juntaram para procurar pessoas possivelmente sequestradas pelo Devorador de Sementes. Segundo estes, não foram usados cachorros, porém foram usadas bengalas para marcar posições, cartazes, etc. Todas as entrevistas e videos foram destruídos, assim que a busca foi prematuramente dita como encerrada. Fato que talvez se deva a "Guía de 7 Regras" perante à caçada do Devorador. Eles realmente não queriam chamar a atenção da criatura para eles...

Os últimos relatos asseguram fortemente que o Seed Eater tem influencia psicológica, mental e sobre os sonhos das vítimas, onde podemos perceber mais uma semelhança com o Slender Man.

"As últimas fotos de Todd Cade (traduzido)", é o último relato escrito por Cliff, onde se fala de Todd Cade e do vídeo e áudio, em que Todd e seus amigos desaparecem pouco a pouco (um pouco parecido com Marble Hornets, porém ainda não confirmado). Cliff deixou o arquivo para download em seu blog.

Em maio, Cliff foi à cidade de Brighmount Downs, para visitar Brady, o rapaz que sobreviveu ao Devorador de Sementes. Brady possui um ferimento notável em sua garganta, provavelmente ganhada no seu encontro com a criatura.

Brady deu a Cliff um livro vermelho com ideias filosóficas e informações sobre uma criatura idêntica ao Seed Eater.

As informações contidas no livro vermelho, são denominadas por Cliff de "Rituais Puros", os acontecimentos que Cliff suspeita, que tenham acontecido com Brady em sua infância e fazem com que ele não se lembre de seu encontro com o Devorador.



Blog de experiencias criado por Cliff, onde você poderá ver as matéria originais em inglês:

http://seedeater.blogspot.com.br/



 

THE15EXPERIENCE.COM



Aparentemente é um vídeo que chegou na internet por volta de abril desse ano e está se tornando um viral. 
Ao final do vídeo tem o site THE15EXPERIENCE.COM

Texto retirado do site:
"15 câmeras. 15 pontos de visão. Este é 'THE15EXPERIENCE'. Eu sou um hacker. Eu não posso te dizer meu nome. Eu tenho hackeado 15 IPs de câmeras em uma casa desconhecida em um lugar desconhecido em que parecem ter aparições de assombração ou atividade paranormal. As imagens e sons que eu tenho capturado tem sido compiladas por mim para compartilhar isso com o mundo".


Na descrição do vídeo, o criador do projeto diz que não foi ele quem gravou esse vídeo, mas que esse material foi enviado por e-mail por um anônimo. Ele diz estar confuso e meio perturbado quanto a isso, e completa, afirmando que o vídeo chamou bastante a atenção dele - sendo real ou não.

Eae? será um viral para anunciar algum filme?



 

Ku Klux Klan - A Organização Racista Secreta



No ano de 1866, no estado do Tennessee, foi fundado um clube social que tinha como membros os soldados que haviam lutado na Guerra Civil Americana, ocorrida nos anos de 1861 à 1865, representando os estados do sul, que haviam sido derrotados. Recebendo o nome de Ku Klux Klan, ela era na verdade uma organização racista secreta, que tinha entre seus objetivos resistir à política imposta pelos estados do norte após a Guerra Civil e intimidar os negros, na maioria das vezes com atos de violência, garantido assim a supremacia branca no país.

O nome da organização, cujo registro mais antigo já conhecido é datado do ano de 1867, tem origem da palavra grega Kyklos, que significa “Círculo”, e da inglesa “Clãn”, que foi escrita com K para poder entrar no contexto do título, já que muitos acreditam que o nome foi inspirado no barulho feito quando se põe um rifle em ponto de atirar.


Criação e Membros
Criada pelo general Nathan Bedford Forrest, e tendo ainda membros como os veteranos da confederação sulista, Calvin Jones, Frank McCord, Richard Reed, John Kennedy, John Lester e James Crowe, a KKK conseguiu crescer em proporções inimagináveis em muito pouco tempo, ampliando seu número de seguidores por diversos outros estados.

Para que suas identidades fossem preservadas, os membros do clã usavam roupas brancas com capuzes que cobriam o rosto. Para que alguém pudesse entrar na seita era necessário passar por um ritual de iniciação, que se dava pelo fato do indivíduo ser colocado dentro de um tonel e empurrado ladeira abaixo.


O Ku Klux Klan torna-se ilegal
Em 1871 o presidente dos Estados Unidos, na época Ulysses Grant, tornou o grupo irregular, tornando o KKK uma entidade terrorista e banida do país. Eles costumavam fazer visitas surpresas aos negros, e com o uso da força, através de chibatadas, eles os forçavam a votar nos democratas. Os brancos que apoiavam a abolição e os professores que davam aula aos negros também eram perseguidos. Os membros da seita não aceitavam que os negros tivessem o direito à educação, diziam que eles eram indignos, que nasceram para ser eternos escravos.

Quando o cineasta Griffith, no ano de 1915, dirigiu o filme “O nascimento de uma nação”, onde deixou claro sua simpatia pelo clã, as chamas de um movimento racista acenderam novamente. Houve uma movimentação e a seita foi retomada, porém, não perseguiam apenas os negros, mas também os judeus e estrangeiros. Em resumo, acredita-se que a seita contou com um número de 5 milhões de membros. Com o crescimento do grupo, novos ideais foram sendo inseridos, agora eles também perseguiam médicos charlatões, marginais e prostitutas. As vítimas recebiam três letras K na testa, uma marca de que o clã havia feito seu trabalho sujo, deixando a vítima como exemplo para os outros.

Devido a essa movimentação o governo interveio proibindo o uso de máscaras, foi criada uma lei que proibia o uso das mesmas em qualquer momento que não fosse fora do Dia de Todos os Santos ou do Carnaval.

Com esse empecilho as coisas foram ficando mais difíceis e o clã foi se desfazendo novamente. Atualmente a KKK conta apenas com um número médio de 3 mil homens em todos os estados americanos. Mesmo o racismo e o preconceito, seja em qual for a escala, sendo crime, ainda existem cidadãos que se acham superior. Muitos não associados apoiam a organização, mesmo não participando ativamente de suas reuniões, apenas como observador.





 

PROJETO MONTAUK - Controle da Mente





O eletro-magnetismo não apenas permite a invisibilidade, mas também influi na mente humana. Muitos sobreviventes do Experimento Filadélfia teriam tido sua sanidade mental comprometida. Isso podia ser verificado em experiências com animais que, após exposição a campos eletromagnéticos, teriam mudado seus padrões comportamentais. Nem precisa dizer que os militares adoraram a possibilidade de influenciar o comportamento de exércitos inimigos. Assim, surgiam os experimentos subterrâneos na base de Montauk. Por mais fantástico que possa parecer, o Projeto Montauk só foi possível graças à implantação de tecnologia alienígena. Seria muito difícil supor que todas as tecnologias necessárias para possibilitar os experimentos de Montauk fossem provenientes única e exclusivamente de nós. Tendo Preston Nichols como um dos cientistas envolvidos, este daria a descrição minuciosa do que aconteceu em Mountak.

Recebendo o nome de Phoenix II, que seria a conjunção dos resultados de Phoenix I (Filadélfia) com a possibilidade de estabelecer o controle da mente, o Projeto Montauk foi instalado secretamente no subsolo da antiga base abandonada de Montauk. O projeto consistia em expor pessoas a poderosas ondas eletromagnéticas para causar modificações em seus padrões mentais (influindo diretamente no comportamento e nas emoções). Com o acordo estabelecido com os alienígenas nas qual ganharíamos suporte tecnológico, os alienígenas por sua vez, seriam

beneficiados com a chance de realizarem experiências com seres humanos (há inúmeras versões sobre o que consistiam de fato), na qual eles também se usariam das instalações de Montauk. Ou seja, eles cometeriam todo tipo de atrocidades conosco sem serem importunados, ou melhor... com a cumplicidade do governo norte-americano. Na revista Ufo 71 há um excelente texto de Fernando A. Hungria que fala sobre o que ficou conhecido como “os meninos de Montauk”. Segundo Fernando, num espaço de dez anos foram raptadas cerca de seis mil crianças loiras de olhos azuis com idade de 11 a 18 anos para os alienígenas as usarem nas suas experiências (na qual não se sabe exatamente o que consistia). É claro que existem muitas outras versões sobre as supostas atividades alienígenas em Montauk. Em uma outra versão é colocado que eles tentavam resolver uma distorção causada pelo vórtice de tempo-espaço gerado no Projeto Filadélfia e que estariam afetando as dimensões próximas a nossa. Como podem ver, são várias as versões...algumas dando uma imagem bastante fria e cruel aos alienígenas e outras nem tanto. O triste é que essa dúvida em relação aos alienígenas não é igualmente válida para os seres humanos envolvidos nisso. Quem realmente representa um perigo para a humanidade? Os alienígenas ou nós mesmos?

A base de Montauk, apesar de desativada, possuía as condições necessárias para a implantação do experimento Phoenix II. A base possuía o poderoso radar Sage que transformava-se numa gigantesca antena parabólica que concentrava freqüência eletromagnética de pico. O radar Sage era direcionado para uma segunda antena de proporção gigantesca que se encontrava enterrado no subsolo. Essa conexão gerava um vórtice (uma espécie de um túnel formado de plasma que teria a cor púrpura e era extremamente brilhante). No subsolo havia imensos níveis secretos e no principal estava o “coração” do Projeto Montauk: uma cadeira fornecida pelos alienígenas que seria usada pelo sensitivo Duncan Cameron. Nesta cadeira havia vários eletrodos que eram ligados nos chakras de Cameron. Os eletrodos captavam os padrões mentais e bioenergéticos e estes, através de diversos equipamentos, acabavam sendo processados num supercomputador chamado de Cry I que, por sua vez, transformava-os em códigos binários. Esses códigos eram enviados para um outro supercomputador que os transformavam em frequências que o radar Sage era usado para emitir. Os transistores se encontravam no farol de Montauk. Este projeto funcionou durante a década de 70 e início da década de 80.





O Projeto Montauk acabou trazendo respostas chocantes para o que havia acontecido com o Projeto Filadélfia. As bobinas de Tesla haviam realizado uma operação similar com o que foi feito em Montauk. O navio DE 173 Eldridge teria ficado preso entre as duas extremidades do vórtice (hiperespaço). Inclusive, como já foi colocado, durante a realização do Projeto Filadélfia, os tripulantes do DE 173 Eldridge entraram em pânico e, na ocasião, dois marinheiros teriam pulado para a água. No entanto, ao invés de cair na água, eles teriam ido parar na base de Montauk. Os dois marinheiros teriam se deslocado no espaço e também no tempo, afinal é “apenas” uma diferença de 40 anos. E eles não teriam vindo sós do Projeto Filadélfia, lembra do mastro principal que havia sumido do DE 173 Eldridge?

Essas revelações fantásticas do Projeto Montauk são apenas o início. Durante esse dia, havia alguns ÓVNIs sobrevoando a cidade de Montauk sendo que um deles fora sugado pelo vórtice e acabou se materializando em um dos imensos níveis subterrâneos da base. Os tripulantes alienígenas do OVNI eram provenientes de Orion. Com ajuda dos alienígenas, os dois homens do Eldridge teriam sido devolvidos para o destróier na data exata.

Enquanto tudo isso ocorria em instalações secretas no subsolo, na superfície havia centenas de soldados que não teriam a mínima ideia do que lá acontecia e, ainda mais, que estavam servindo de cobaias para a segunda proposta do Projeto Montauk: as influências do campo eletromagnético sobre o cérebro. Todos estavam sendo bombardeados constantemente com frequências eletromagnéticas que afetariam seus estados de humor. As Forças Armadas norte-americanas usavam seus próprios homens como cobaias de seus experimentos.


Se você ficou chocado com as “crianças de Montauk” que não se sabe “que diabos” aconteciam com elas nas mãos dos alienígenas, o que pensar das atrocidades que eram cometidos por nós mesmos? Segundo depoimentos de Preston Nichols, os militares passaram a se usar de cobaias que seriam mendigos e bêbados raptados nas ruas. Alguns deles eram usados em experimentos de transporte no tempo e nem sempre era possível o retorno. Em função desse completo descaso com a vida humana, houve uma sabotagem do pessoal da equipe dos transmissores (na qual Preston teria feito parte) para tentar impedir que tantas pessoas fossem sacrificadas com as aberrações cometidas em experimentos de Montauk.

Você acha tudo isso fantástico demais para ser verdade? Por mais cético que se possa ser, não é possível ignorar a batalha burocrática que Preston Nichols e alguns políticos ligados a ele enfrentaram em 1994 na tentativa de sensibilizar o congresso norte-americano para que se inicie uma investigação minuciosa sobre o que teria acontecido na base de Montauk na década de 70 e início de 80. Se não houvesse alguma verdade na história de Preston, para que ele teria feito isso? Para se desmoralisar perante a opinião pública? Quando eles conseguiram tal intento, o atentado à bomba de Oklahoma teria garantido a retirada da investigação de Montauk da pauta de urgência que até agora está “congelando” sem data para uma apreciação. Isso parece ser bastante suspeito... não acha?



 

Contracted - Lendado


O filme trata de Samantha, uma garota lésbica que teve um relacionamento casual com um estranho que conheceu numa festa. No dia seguinte, ela começa a apresentar sintomas de uma doença. Depois de uma consulta no médico, este afirma que ela deve ter contraído alguma doença sexualmente transmissível. Samantha fica bastante preocupada, pois a cada dia que passa os sintomas pioram e ela não sabe o que fazer. Sua mãe logo pensa que está usando drogas, já que isso aconteceu anteriormente. Porém, fica claro que o motivo não é esse.

O enredo principal do filme é o desenvolvimento devastador da doença e os resultados disso. Um espectador atento logo saca o que está rolando. . . Entretanto, várias cenas e diálogos dão pistas do que está rolando com Samantha.

Acredito que Contracted – Infectada, em uma tradução livre – é um filme de terror leve, porém com algumas cenas que podem ser consideradas nojentas por algumas pessoas. Mas não é esse meu caso, evidentemente.  Esse filme subestimou minhas expectativas, pelo trailler você tem uma leve desconfiança do que se trata esse longa, mas ao ver o que realmente ocorre, é um choque.



"Indico muito esse filme, sinceramente um filme muito foda..."

Sinopse:
Contracted narra o conto aterrorizante de uma jovem que tem um caso de uma noite com um estranho, contraindo o que ela acha que é uma doença sexualmente transmissível, mas na verdade é algo muito pior. Como as coisas começam a desmoronar ao seu redor, ela é enviada em uma perturbadora e arrepiante viagem. Com suspense de roer as unhas e reviravoltas assustadoras, Contracted é um filme de horror para aqueles que pensam que já viram de tudo.

Áudio:
Inglês – Legenda: Português




 

Aokigahara - a floresta dos suicidas





Aokigahara é uma floresta que fica localizada na base noroeste do monte Fuji, no Japão. É uma floresta que abrange cerca de 35km² e é um dos pontos turísticos mais populares da região...

 A floresta de Aokigahara (também conhecida pelo nome "Mar de Árvores") possui uma grande densidade de árvores, por essa razão o vento jamais penetra em seu meio. Devido também a quase ausência de animais na floresta, Aokigahara apresenta um silêncio perturbador e sinistro (é só dar uma olhada nos vídeos feitos na floresta para constatar o ar estranho  e silencioso emanado pelo lugar). Devido a idade da floresta e seu peculiar silêncio, Aokigahara é considerada por muitos japoneses como um lugar maldito e lar de diversos demônios. Mas a floresta também apresenta outra particularidade macabra, é o segundo ponto onde mais ocorrem suicídios no mundo, ficando atrás apenas da ponte Golden Gate, nos EUA.



Por ano o número de mortos encontrados comumente ultrapassa a assustadora marca de 100. Geralmente os corpos são encontrados em avançado estado de putrefação e os métodos de suicídio variam bastante. São encontradas pessoas que se suicidaram por enforcamento, envenenamento e por armas de fogo (sendo a ultima bem mais rara), o método de suicídio mais frequente é o enforcamento.



As estatísticas a respeito do número de suicídios variam bastante, no período anterior a 1988, ocorriam cerca de 30 suicídios a cada ano. Os números aumentaram desde então e já chegam, só em 2004, a 108 pessoas. Muitos atribuem o aumento desse número a divulgação feita sobre esse lugar. Geralmente a imprensa é aconselhada a não veicular nada sobre os lugares onde costuma-se ser frequentado por suicidas, pela simples razão de que a noticia sempre encoraja e atrai outros que passam por extremo sofrimento e também pensam em tirar a própria vida. Mas a "maldição" da floresta não vem de hoje, muitos relatam que a floresta é palco de diversos casos sinistros ao longo da história japonesa. Conta-se que no século XVIII, devido a fome enfrentada pelo povo japonês, muitas famílias abandonavam os seus incapazes e debilitados na floresta com o intuito de mata-los, se livrando assim do fardo que eles representavam em tempos de escassez de  alimentos. Muitos japoneses acreditam que as almas dos antigos mortos ainda assombram a floresta.



Devido ao alto índice de suicídios ocorridos dentro da floresta, as autoridades japonesas espalharam avisos por todas as rotas de entrada da floresta, na tentativa de provocar a reflexão nas pessoas que se sentem perdidas e procuram a floresta para por um fim na própria vida. Os avisos pedem para as pessoas que ali forem adentrar, que saiam do local e procurem alguma ajuda. Mas apesar das placas e dos avisos o número de suicídios continua bastante elevado e a cada ano mais e mais pessoas procuram a floresta sinistra com o objetivo macabro.

Nem todos que entram na floresta concluem seu objetivo. Existem diversas pessoas que adentram na floresta mas acabam, por alguma razão, desistindo de cometer o suicídio. No ano de 2010 cerca de 247 pessoas procuraram a floresta para se matarem, mas somente 57 acabaram concluindo seu objetivo inicial.







 

Toy Story Macabro



Eu nunca vou esquecer aquele dia, aquele em que toda a minha perspectiva mudou para sempre, e eu pensava que tudo estava esquecido, mas não estava.

Todo mundo adora esse filme, para mim, é horrível, eu não posso acreditar que o sucesso que tivemos, eu quero dizer a famosa trilogia de Toy Story.

Muito poucos sabem as verdadeiras origens desta criação macabra.

O ano era 1991, quando este filme começou a ser produzido, a Pixar queria mudar “um pouco” para que o público se concentrasse suas produções, e a Disney, liderada pelo sucesso de O Rei Leão, queria ver como uma mudança oficial em um mercado “mais adulto" Como eu sei? Porque eu era um trabalhador da manutenção, pagavam muito bem, mas passei algumas coisas que você nunca imaginou, como estas coisas que direi.

Pixar tinha planejado uma história, não se sabe quem foi o criador, mas provavelmente esta seria uma “obra-prima”, o filme bizarro seria chamado de Toy Story. Este foi um curta, antes de passá-lo para os cinemas tiveram de ver algumas outras pessoas e dar conselhos, em troca de algum dinheiro, como eu precisava, aceitei sem hesitação este erro terrível.

Éramos um total de seis pessoas, dois executivos da Pixar, três pessoas que eu não conhecia, e eu obviamente. O filme começa com uma canção de ninar muito macabra, o quarto estava escuro e as letras de Andy pequenas fazem o letreiro de Toy Story.

Para a tecnologia que eles tinham era uma animação muito pobre, mas era apenas um teste. A sala iluminada, Andy estava chorando, mas de uma forma mais do que real, um grito que se espalhou em tristeza profunda, a música se calou e é ouvido ele chorando, isso aconteceu por cerca de dois minutos. Andy para de chorar e agora parece que tem uma discussão, fazendo alterações para os pais de Andy, discutindo a borda da escada, a mãe está grávida obviamente, os diálogos não são distintos, gritos apenas.

Revezando para Andy, que leva Woody e Betty e começar a brincar com eles, Betty trouxe suas características de ovelhas, enquanto Woody um sorriso sinistro.

Em seguida, Andy pegou uma Barbie e um Ken, estes simulavam os pais de Andy discutindo, até chegar Woody e Betty e começar a espancar os outros dois bonecos.

Ouve-se um grito agudo, fazendo alterações para a discussão dos pais de Andy, seu pai está jogando de repente a mãe das escadas, que foi atingida várias vezes e acaba deitada no chão, cercada por uma piscina extremamente realista de sangue, eles começam a ouvir um bebê gritando em desespero, seus gritos se tornaram cada vez mais profundo e mais forte.

Voltamos a Andy, que percebe o que está acontecendo, pega uma faca debaixo da cama e ataca seu pai, ouve-se gritos de partir o coração, como se essa pessoa estivesse muito infeliz. Pai de Andy está morto, mas Andy penetra com a faca, em seguida, corta o braço do pai e joga fora.

Andy vai para onde sua mãe está, e, aparentemente, foi morta a tiros, os gritos do bebê estão se tornando mais sensível e real, neste momento, fazem alterações em uma foto de um bebê, poucos meses de idade, sem braços ou pernas, e um homem começa a sufocá-lo até que o bebê fica em silêncio, os gritos são semelhantes aos da animação.


Andy sobe as escadas, com ambos os pais mortos, volta para seu quarto e leva Woody, este ganha vida e para Andy não parece estranho, Woody se levanta e começa a consolá-lo, dizendo: “isso tinha que acontecer algum dia, e não é sua culpa. “

Andy foi baleado no chão e começou a chorar e bater a cabeça no chão até que ele começa a sangrar, enquanto Woody vai de debaixo da cama e pega outra faca, levanta a faca sobre Andy, no momento em que ele diz “isso tinha que acontecer algum dia.”

Apenas a criança chora de desespero, por cerca de cinco minutos, completado com uma foto de uma criança real, aparentemente, esfaqueado, e sob as mesmas condições que o bebê sem braços ou pernas.

Naquele hora termina, o silêncio era inevitável, os executivos da Pixar estavam furiosos e bateram a porta, os outros três, dois foram correndo e você fica ali, imóvel, e desatou a chorar. Eu fui, na hora de sair do quarto, um homem me pediu desculpas e disse-me para não dizer nada disso, que vai investigar o caso.

Anos mais tarde, Toy Story foi lançado com uma história muito diferente para a qualidade da gravação original e som, mas vendo os personagens me lembro daquele dia horrível, onde os sonhos de um louco se materializaram na coisa mais inocente do mundo, os brinquedos de uma criança.

Agora, Toy Story chega aos cinemas com a mesma história inocente, mas o mistério que eu e cinco outras pessoas vivenciamos… Estou enojado de tantas pessoas adorarem esta criação macabra que tem em suas origens, o terror.


 

Crianças sendo espontâneas as vezes pode assustar


Os pais fizeram uma pergunta no site Reddit: “Qual foi a coisa mais horripilante que o seu filho pequeno já disse para você?”  As respostas são de arrepiar:


1.


Eu perguntei de brincadeira: “Qual é a melhor maneira de arranjar uma namorada?”. Resposta do meu filho de 7 anos: “Digo pra ela ser a minha namorada, senão ela nunca mais vai ver os pais dela”.

2.


Eu estava colocando meu filho de dois anos para dormir. Ele disse “Adeus, pai”. Eu disse: “Não, o certo é dizer boa noite”. Ele respondeu: “Eu sei. Mas dessa vez é adeus”. Precisei dar uma conferida nele algumas vezes para ter certeza de que ele continuava lá.

3.


Minha filha de 3 anos de idade estava parada ao lado do seu irmãozinho recém-nascido e ficou um tempo olhando para ele, depois virou para mim e me disse: "Pai, é um monstro… precisamos enterrá-lo".

4.


Eu estava dormindo profundamente, e às 6 da manhã fui acordado pelo rosto da minha filha de 4 anos a poucos centímetros do meu. Ela olhou bem nos meu olhos e sussurrou: "Eu quero arrancar a sua pele fora".

5.


Minha sobrinha estava sentada no sofá com um olhar esquisito no rosto. A mãe dela lhe perguntou sobre o que ela estava pensando, e ela respondeu: "Estou imaginando as ondas de sangue correndo por dentro de mim".

6.


Filho de 5 anos de idade: "Mãe, quando você morrer eu quero colocá-la dentro de uma jarra de vidro e guardá-la ali para enxergar você para sempre". Ao que o filho de 6 anos respondeu: "Isso é bobagem. Onde é que você vai achar uma jarra tão grande? ".

7.


“Quando eu nasci aqui eu tinha uma irmã, né? Ela e a minha mãe estão tão velhas agora. Elas ficaram bem quando o carro estava pegando fogo, mas eu com certeza não fiquei!”

8.


Minha filha tem 4 anos e começou a contar piadas nonsense (tipo “Por que a mamãe atravessou a rua? Porque os braços dela eram feitos de macarrão!”). Um dia desses ela me veio com essa: Por que a bunda atravessou a rua? Porque ela estava com uma tomada enfiada!

9.


Minha filha pequena entrou numa fase em que fica toda hora dizendo “hi” [oi] para as coisas. “Hi hi hi hi hi hi”. Certo dia, ela começou a pronunciar mais como “die” [morra]: “Die die die die die die”. Daí eu perguntei para ela: “O que você está dizendo?”. E ela me encarou bem e simplesmente sussurrou: “Diiiiiiieeeeeeee.........”.

10.


“Eu estava tirando minha filha de dois anos e meio do banho outro dia, e minha mulher e eu estávamos ensinando a ela como é importante manter suas partes privadas limpas. Ela respondeu com casualidade: “Ah, ninguém me ‘fuxuca’ aí. Eles tentaram uma noite. Eles chutaram a porta e tentaram, mas eu revidei. Daí eu morri e agora estou aqui”. Ela falou isso como se fosse a coisa mais normal do mundo.

11.


Meu filho de 3 anos de idade geralmente tem atitude bem esfuziante, então isso é bem esquisito. Às vezes, quando ele está aninhado junto à sua mãe, ele diz, bem sério: “Mãe, eu prometo que nunca vou mastigar os seus ossos. Eu prometo”.

12.


O filho de um amigo meu disse para ele: “Papai, eu amo você tanto que eu quero cortar a sua cabeça fora e carregá-la por aí para que eu possa ver a sua cara sempre que eu quiser”.

13.


“Então eu não devo jogar ele na fogueira?” Minha filha de 3 anos de idade segurando seu irmãozinho no colo pela primeira vez.




Hora de substituir o seu filho por um novo que não seja assustador.



 

As verdadeiras histórias dos vampiros




A ORIGEM

São várias as versões das histórias que existem sobre estes eternos seres noturnos. Nos perdemos na veracidade dos fatos, a sua raça chega a ser mais antiga do que a própria raça. 


As três teorias principais sobre a origem dos vampiros remetem-nos para os tempos mais antigos. 

°A primeira versão conta que o primeiro sugador de sangue foi Caim, que depois de ser amaldiçoado por Deus transformou-se num vampiro e casou com a bruxa Lilith (primeira mulher de Adão), que lhe ensinou muitos rituais destes seres, inclusive a usar o seu próprio sangue em magias. Foi também Lilith quem encontrou a “fórmula mágica” para criar novos vampiros. 

°A segunda versão dá-nos conta da existência do primeiro vampiro apenas no século XIV. Valek, um homem que teria sido condenado por heresia, e a quem um sacerdote teria exorcizado para expulsar os demonios do seu corpo. Porém, durante este ritual, algo  ocorreu mal e
Valek morreu e voltou a renascer com um monstro dentro de si, com todas as características de um vampiro.

°Já a terceira teoria sobre o início da origem dos vampiros relata que o primeiro vampiro da história, ou melhor, a primeira vampira, foi a bruxa Lilith que depois de ter uma enorme discussão com o seu marido Adão, de forma a querer a mesma igualdade neste mundo, o deixou. E por isso foi punida. Transformou-se numa destas criaturas assustadoras da noite.


Vampiros da vida real
Embora as histórias dos vampiros não sejam mais do que lendas que se tornaram imortais devido a grandiosas obras do cinema e da literatura, a verdade é que existem realmente vampiros na vida real. Os morcegos hematófagos são verdadeiras sanguessugas e há também seres humanos que sofrem de uma rara patologia genética – porfiria – que os impede de terem contato direto com a luz solar, quando isso acontece cria terríveis feridas na pele. Por incrível que pareça a Porfíria foi uma doença muito comum, há 1000 anos atrás, na Transilvânia, onde terá nascido os mitos mais conhecidos sobre os vampiros.

Vampiros

A lenda diz que ao contatarmos diretamente com vampiros perdemos energia, a nossa sonolência aumenta ou começamos a sentir algum tipo de dor. E isso acontece, de vez em quando, quando estamos na presença de algumas pessoas em específico. O que aqui queremos explicar é que existem vampiros na vida real, e são eles aqueles que nos sugam a nossa energia, que de alguma forma nos passam tamanha má energia, que nos deixa completamente esgotados. Essas pessoas, a quem podemos chamar vampiros sugadores de energia, pretendem “recarregar as suas baterias” através da nossa força. O vampirismo ocorre em toda a parte, principalmente, agora, quando as relações entre as pessoas se torna cada vez mais difícil.

Quem era o Conde Drácula?
O famoso autor Bram Stoker baseou o seu famoso Conde Drácula em um homem que existiu, ou seja, ele não foi apenas fruto da sua imaginação. 


Dracula foi um príncipe da Transilvânia que nasceu em 1431, na cidade de Sighisoara e o seu pai pertencia à Ordem do Dragão, uma organização que lutava contra os turcos. Drácula significa Dragão ou Demônio  e tornou-se o símbolo do pai de Vlad, pois as suas moedas eram cunhadas com esta imagem.

Vlad Drácula, que governou o território que corresponde hoje à Romênia,  foi sequestrado pelos turcos quando tinha apenas 13 anos e teriam sido eles quem lhe ensinou as mais terríveis torturas, bem como a empalar pessoas (tortura em que uma pessoa era colocada em cima de um cavalo e empurrada em direção a estacas aguçadas, untadas com óleo, de forma a que a morte não fosse imediata). Este príncipe da Transilvânia terá sido um terrível opositor dos seus inimigos e ficou conhecido pelas horrorosas torturas que levou a cabo. Ele torturava mulheres infiéis e promíscuas, cortando-lhes os órgãos sexuais ou arrancando-lhe a pele enquanto ainda estavam vivas e colocava-as em lugares públicos para servirem de exemplo aos outros.

Drácula era, de fato, um sanguinário e apreciava, por exemplo, as execuções em massa, empalando várias pessoas ao mesmo tempo. Assistia a todo este terror, como se de um espetáculo se tratasse e sentia prazer ao ouvir os gritos de horror das suas vítimas.

Nos relatos, Vlad Drácula teria morrido em 1476, numa batalha contra os turcos, onde foi confundido com um deles, pelos seus próprios homens.

Foi executado como se fosse do exercito inimgo. Anos mais a sua sepultura foi aberta e estava vazia, apenas restava uma coroa de ouro, uma gargantilha com uma serpente e um manto de seda vermelha. Todos estes objetos foram roubados do Museu Histórico de Bucareste, onde tinham sido depositados. O castelo de Vlad Drácula encontra-se atualmente no norte da Wallchiana, na cidade de Tirgoviste.

As mais fascinantes curiosidades sobre Vampiros

Vampiros da ficção vs. Vampiros da Mitologia
Na mitologia estes seres terríveis eram sempre representados como se tratando de cadáveres. Vestiam-se com roupas escuras e as extremidades 
do seu corpo davam a impressão de terem sido mordidas. Já na ficção estes sugadores de sangue têm uma aparência humana, de forma a que seja mais fácil conviverem no meio da sociedade. Aparecem também vestidos com roupas escuras, entre o preto, o roxo e o vermelho, as suas sobrancelhas são grossas e as suas unhas são grandes e brilhantes.

O mito do alho
Foi o autor de Drácula, Bram Stoker quem introduziu a teoria de que os vampiros teriam aversão ao alho. A verdade é que esse método, de espalhar alhos pela casa, era usado pelos romenos para afastar o maléfico ser noturno ou qualquer outro demônio, para confundir o olfato dos vampiros, para que não detectassem os humanos vivendo no local, sendo uma forma de camuflagem. Desde muito cedo, que o alho foi utilizado nestes países como uma erva medicinal de proteção contra muitos males do corpo ou do espírito.

O beijo da imortalidade

A história revela que um vampiro conseguiria transformar um ser humano num ser da sua espécie ao sugar-lhe todo o sangue mortal substituindo-o por uma pequena parte do seu sangue vampiresco.

Afinal o que é um vampiro?

É, na maior parte das vezes, representado como um cadáver renascido e que sai do seu caixão procurando sangue para manter a sua aparência de vivo ou é nada mais do que um espírito das trevas que desencarnou de um ser humano morto e que também necessita de sangue para manter a sua sobrevivência terrena.

Uma vampira em Veneza
Um arqueólogo italiano, Matteo Borrini encontrou em uma de suas escavações em Veneza um esqueleto de uma mulher com um tijolo na boca. A história diz que nesta zona, na Idade Média, muitas pessoas teriam sido vítimas da peste e que se contava que quem tinha espalhado a doença teriam sido os vampiros. Assim, muitas pessoas, foram mortas acusadas de serem estes seres noturnos. Os tijolos colocados na boca dos suspeitos serviam para detê-los, uma
vez que como o sangue era, muitas vezes, expelido pela boca dos mortos. Borrini acredita que este é o primeiro “vampiro” encontrado, vítima da peste italiana de 1576.

Os filmes mais famosos sobre vampiros
Conde Drácula
Escrito por Bram Stoker em 1897, esta obra inspirou inúmeros realizadores. Em 1992, Francis Ford Copolla o filme Drácula deBram Stoker contado a história do príncipe Vald Drácula que renega Deus ao perder a sua amada Elizabeth.

As noivas do Vampiro
Inspirado no filme de 1958 Drácula, esta película, realizada em 1960, conta a história de uma jovem professora que viaja pelo leste europeu e liberta um jovem, sem saber que este é vampiro.

Entrevista com o Vampiro
Protagonizado por Tom Cruise e Brad Pitt, este filme de 1994, é baseado no romance da autora Anne Rice e conta a história de um Vampiro, Louis, antes de tornar-se um ser eterno.

Nosferatu
Hutter , agente imobiliário, viaja até os Montes Cárpatos para vender um castelo no Mar Báltico cujo proprietário é o excêntrico conde Graf Orlock, que na verdade é um milenar vampiro que, buscando poder, se muda para Bremen, Alemanha, espalhando o terror na região. Curiosamente quem pode reverter esta situação é Ellen, a esposa de Hutter, pois Orlock está atraído por ela.

Van Helsing
O Dr. Van Helsing é um dos principais especialistas em monstros de sua época, no século XIX. Contratado pela Igreja Católica, ele parte para o leste europeu com a missão de eliminar o mais perigoso dos vampiros: o conde Drácula. Ao seu lado ele terá a ajuda de Anna Valerious, tendo ainda que enfrentar monstros como o lobisomem e Frankenstein.

Blade
Blade nasceu como híbrido de humano com vampiro, pois foi contaminado ainda na barriga de sua mãe grávida, quando ela foi mordida pelo vampiro Deacon Frost. Com isso, ele se tornou poderoso porém mortal e, com a ajuda de seu mentor Abraham Whistler, passou a combater os vampiros para vingar a morte de sua mãe. Um inimigo em especial aparece em seu caminho, e é justamente seu "pai" vampírico Deacon Frost (Stephen Dorff), que pretende se tornar o líder dos vampiros e guiá-los num grande ataque contra a humanidade.

A Saga Crepúsculo
Isabella Swan vai morar com Charlie, seu pai, recentemente. No novo colégio ela logo conhece Edward Cullen, um jovem admirado por todas as garotas locais e que mantém uma aura de mistério em torno de si. Eles aos poucos se apaixonam, mas Edward sabe que isto põe a vida de Isabella em risco.

Séries 

The Vampire Diaries
Quatro meses após o trágico acidente de carro que matou seus pais, Elena Gilbert, que tem 17 anos, e seu irmão, Jeremy, que tem 15 anos, ainda estão aprendendo a lidar com o luto e tocar suas vidas adiante. Elena sempre foi a "garota perfeita": popular, bonita, e cheia de amigos. Mas agora ela precisa aprender a esconder sua tristeza do mundo. Quando o novo ano escolar começa, Elena e suas colegas ficam fascinadas por um misterioso e charmoso novo colega, Stefan Salvatore. Stefan e Elena imediatamente se aproximam, sem que a garota saiba que Stefan é um vampiro com centenas de anos de idade, lutando por uma vida pacífica entre os humanos, enquanto seu irmão, Damon, é a personificação da violência e brutalidade dos vampiros. Agora esses dois irmãos vampiros - um bom, um mau - estão em guerra pela alma de Elena e pelas almas de seus amigos, família, e todos os habitantes da pequena cidade de Mystical Falls. A série é baseada nos romances de L. J. Smith.

True Blood
Numa nova era de evolução científica, os vampiros conseguiram deixar de ser monstros lendários para se tornarem cidadãos comuns. Essa mudança, que aconteceu do dia para a noite, deve-se a cientistas japoneses, que inventaram um sangue sintético, fazendo com que os humanos deixassem de ser o seu prato principal. Já os humanos ainda não se sentem totalmente seguros convivendo lado a lado com toda a legião de vampiros que está saindo de seus caixões. Ao redor do mundo, cada um escolheu o seu lado a favor ou contra essa revolução, mas numa pequena cidade de Lousiana, as pessoas ainda estão formando a sua opinião. Sookie, garçonete de um pequena lanchonete, tem o poder de ouvir os pensamentos das pessoas e não vê problemas na integração desses novos membros à sociedade, principalmente quando se trata de Bill Compton, um atraente vampiro de 173 anos de idade. Mas ela pode vir a mudar de opinião, à medida que desvenda os mistérios que envolvem a chegada de Bill em sua cidade. Uma nova sociedade está se formando e cada um precisa escolher a sua posição dentro dela.

E varias outras séries e filmes sobre vampiros que vale a pena pesquisar e assistir.


 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...